Checando o vinho.



Enquanto as horas passam, terrivelmente imagino como foi seu dia, o que tens feito, se sente saudade do meu rosto recebendo prazer. As minhas preocupações foram dar uma volta pelo quarteirão, meus pés roçam e finjo dormir para que cheires meu pescoço e me acordes mais uma vez. 


Um show de pássaros perdendo suas penas, uma a uma, se debatendo, mil rosas bebendo vinho das nossas bocas. 


Sua pele terrivelmente pula em cima da minha, e meu amor, continue fixando seu olhar no meu, não para agora, por favor, não para.
Sua mão que me dá segurança, seus dedos que deslizam na minha alma e desembocam no meu tronco, sou planta forte, regada com sacanagem, poesia, música, maratona de línguas, puxões, abraços e amor.


Aqui está você, na minha frente, chequei meu coração, gosto do que sinto, chequei o tempo, vem chuva por aí, chequei os discos, tem trilha sonora, chequei meu desejo, ele diz que quer que você fique e me revire. 


As imagens do beijo, seguido de risadas, seguidas de felicidade, começam e terminam infinitamente em nós, pintados de vinho, fumaça e poros. Terrivelmente, me coma, me morda, terrivelmente me ame.

3 comentários:

Marcos de Sá disse...

Lascivamente belo...

Carlos Augusto Matos disse...

Nossa adorei, um tanto sensual, um tanto poético... Adorei...

Bjuxxx linda...

Gonzo Sade disse...

Psicose deleitosa. Tudo o que simplório Norman Bates sempre quis fazer e sua mãe nã permitia.

Postar um comentário